De zero à 1000 quilômetros.

A minha singela comprovação de que podemos sim ir muito longe começando – literalmente – do zero.

Em 365 dias, foram 55.877 calorias que se evaporaram no espaço, no total das 105 horas mais saudáveis da minha existência, resumidas em 136 corridas e média de 172 batimentos por minuto. Acho que meu corpo, e principalmente meu coração, nunca foram tão aceleradamente satisfeitos e minha cabeça nunca se sentiu tão responsável por cada decisão tomada, inclusive aquelas nos momentos de desmotivação.

Nunca na vida eu diria que correria 1000 quilômetros em um ano. Aliás, pouco tempo atrás eu não diria nem que correria! O tempo passou e hoje me sinto orgulhosamente feliz por escrever isto. A corrida mudou minha vida de tal forma que não há post que explique exatamente tudo que aconteceu desde que esses ‘indicadores’ se iniciaram. São 1000 quilômetros de mudança, de desafios, as vezes de má vontade, as vezes de muita empolgação, de sol, de chuva, de dia, de noite, de companhia, de solidão, de suor, de Fé em mim e no que eu sou capaz e até do que eu achava que não fosse.

CKR - Post 1000 quilometros d

No meio de tantas coisas que a corrida me ensinou, uma delas foi que não há como convencer ninguém do que é bom ou não para elas (e nem para mim). O que vale é tentar por um determinado período – mesmo sem vontade – e se depois de um tempo eu sentir um contentamento gratuito, pronto! É isso. Para mim foi assim. Longe de amor à primeira vista, mas o relacionamento que tenho com a corrida hoje é de uma cumplicidade, entendimento, companheirismo e reciprocidade infinita. Quem corre sabe o que a insanidade desta frase significa.

Tantas pessoas estão nesses kms, lugares, situações. Teve o início do #MetaColetiva que resume-se na vontade insana que eu tenho de participar da concretização das metas alheias, teve a descoberta da Nike Corre, teve o meu aniversário solidário comemorado em formato de treino:

Teve a participação no site www.CorraKoRuivo.com, teve corridas fora do Brasil, como a “Correndo em Miami“, teve o privilégio de conhecer pessoas inusitadas, como  “Correndo com o Fly”,  teve a participação da campanha #VemJunto da Nike na corrida “Geral com Ruivo”, teve muitos treinos que tive o imenso prazer de organizar com o CKR, como o “Treino Presente de Alegria” , teve metas alcançadas, como me pesar o que eu pesava quando era adolescente, teve os treinos de NTC e teve até minha primeira meia maratona na Golden Four Asics.

Houveram momentos de exaustão, alguns de dor e outros de quebra de recorde, como o 1Km da corrida Adidas Boost no Rio de Janeiro, acompanhado de um sentimento inexplicável de superação, que parecem tatuagens no coração e na cabeça de tanto que marcam na memória. Dá para desenhar cada pedacinho dessas lembranças e das sensações que elas provocam todas as vezes que penso nelas.

A consequência de tudo isso foi um corpo mais saudável (vou muito mais ao médico hoje em dia, mas para acompanhamento, porque tudo que quero é continuar saudável), e ainda mais importante, uma cabeça mais sana, um olhar mais feliz, um sorriso mais estampado e um contentamento ‘interno’ que só eu sei que sinto e com que intensidade sinto, quando coloco a cabeça no travesseiro todas as noites antes de dormir.

E os comparativos? Aaaah os comparativos! Inocentemente documentados em fotos, sem a menor pretensão. Vivo sorrindo silenciosamente com a minha constante surpresa ao rolar fotos do início de 2015 no meu instagram e vejo treinos ‘antigos’ no meu aplicativo de corrida Nike Plus. Foram 9 Kgs perdidos desde que tudo começou, incontáveis amigos ganhos, pace médio que caiu de 7’30” para 5’30”, imensurável evolução da auto-estima e uma vontade, muitas vezes incontrolável, de colocar todo mundo pra correr, pra caminhar, pra se mexer, sei lá… uma vontade de chacoalhar o povo para que possam sentir um pouco do que eu sinto e descobrirem que para ser feliz, a gente só precisa da gente mesmo… e saúde… e talvez um par de tênis! =))

Esses 1000 quilômetros não representam necessariamente uma “distância”, mas na verdade a proximidade de tudo que sou, tudo que descobri, tudo que me tornei e tudo que ainda tenho capacidade de conseguir, um passo atrás do outro.

De tudo que possivelmente eu possa agradecer ou pedir, eu agradeço e peço por saúde! Saúde porque eu quero quebrar muitos recordes ainda. Tanto no asfalto, quanto nos colchonetes de fortalecimento, quanto na vida pessoal, inclusive profissional. Tudo que eu quero é ser melhor em diversos aspectos da vida; e porque de tudo isso que eu escrevi hoje, o esporte – principalmente a corrida – me deu muita coisa em diversas áreas e eu quero muito mais, por muitos e muitos anos!

Termino te desejando saúde para, passo atrás de passo, também conquistar seus marcos e metas, e se quiser, pode me convidar. Eu adoro progresso e vou adorar participar do seu!

Beijos quilométricos!

@leleka_acao

Leleka 1000Km

Anúncios

um comentário

  1. Excelente texto amigão, fica às claras a sua disciplina a sua dedicação e o amor a essa atividade…espero vê-lo sempre com a mesma motivação e com espirito desafiador ao longo dos anos futuros. Permaneça com muita saúde e paz. Grande abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: