Maratona de Berlim 2017

Foto de Capa @fparadizo

O palco estava armado e os três melhores do mundo na atualidade presentes – Eliud Kipchoge, Kenenisa Bekele, Wilson Kipsang -, de cada 100, 101 acreditavam em um novo recorde mundial para a distância, mas só esqueceram de avisar que eram 42.195m onde tudo pode acontecer.

No inicio da prova já apareceram os primeiros obstáculos para os atletas, chuva e umidade relativa do ar altíssima. Desde o 1km se formou um bloco com 4 coelhos e mais 5 atletas, além do trio favorito, Guye Adola (Estreante) e Vicent Kipruto decidiram encarar uma maratona rápida.

Para estabelecer um novo recorde mundial os atletas precisariam correr na casa dos 2’54’’ de ritmo médio. A passagem do 1ª split (5k) foi o mais rápido de toda prova, o pelotão passou para 14’28’’ que naquele momento era abaixo do tempo necessário para quebrar o recorde. Na passagem dos 10k o pace subiu e o grupo líder marcou 29’04’’. Os atletas corriam sem nenhuma dificuldade, mas já enfrentavam a chuva e a umidade. O 3º split  (10k-15k) foi o mais fraco até dado momento e os atletas chegaram a rodar alguns kms a 3’00’.

A marca dos 21.1k cravou 01:01:29 e ficou dentro do pretendido para quebra do recorde, porém houve uma surpresa, Bekele começou a ficar e o seu rosto demonstrava bastante sofrimento. Kipsang e Kipchoge corriam fácil, Adola e Kipruto desconfortável e a frente deles ainda permaneciam 2 coelhos (Marcadores de ritmo). Nos 25k o cenário permaneceu o mesmo, Bekele ficando para trás, um bom Split dos 20k – 25k (14’32’’) com Kipchoge e Kipsang bem, e Kipruto e Adola sofrendo e apenas um coelho.

Dos 25k ao 30k V. Kipruto ficou para trás. Eis que no Km 30 veio a maior surpresa, depois da retirada do último coelho no posto de hidratação, Kipsang que aparentava estar muito bem também parou inconsolável se queixando de dores estomacais. Nesse momento a disputa ficaria entre Kipchoge e Adola. No split de 30k-35k se registou a pior passagem (14’41’’) até aquele momento. O ritmo caiu e os dois corriam lado a lado demonstrando desconforto e Kipchoge parecia incomodado com Adola na sua cola e os atletas chegaram a trocar algumas palavras do tipo, “afasta”, “sai da minha cola”, “vai para frente”.

Desse momento em diante a disputa ficou interessante, no Km 37 o estreante decidiu atacar traçando uma rota diferente de Kipchoge e abriu alguns segundos, mas faltando 2k o favorito atropelou. Após bater 3’09’’ no quilômetro 40, Eliud Kipchoge (KEN) rodou os últimos kms a 2’54’’ e se sagrou bicampeão da maratona mais rápida do mundo com 02:03:32. Guye Adola (ETH) se tornou o melhor estreante na maratona a alcançou a 7º melhor marca de todos os tempos com 02:03:46. Fechando o pódio Mosinet Geremew (ETH), 02:06:09.

Classificação Final

E não se esquece de dar uma moral pra gente. Como?

Se inscreva no canal – youtube.com/corrakoruivo
Segue noix no Instagram – @corrakoruivo & @baavalini / @roger_ruivo
E curti a page no face – facebook.com/corrakoruivo

Até a próxima time!!!

ROGER RUIVO. Atleta de Fundo, Criador de Conteúdo Running e Fundador do Corra K.O. Ruivo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: