CORRA MAIS RÁPIDO (PART 2)

  1. A BIOMECÂNICA IDEAL DE CORRIDA

Ao longo dos anos esse tema gerou muita discussão porque existem muitos atletas considerados de ponta que não apresentam ou apresentavam uma boa biomecânica de corrida e um bom exemplo é o tcheco Emil Zátopek, único atleta na história dos jogos olímpicos a ganhar os 5.000m, 10.000m e maratona na mesma olimpíada (Helsinki, 1952).

Mas hoje temos diversos estudos que comprovam que uma biomecânica de qualidade ajuda a economizar energia e diminuir o desgaste físico, o que leva a uma corrida mais eficiente.

Vamos aos pontos chave:

Tronco

O tronco tem que estar levemente inclinado para frente, um tronco ereto ou pra trás foge do sinergismo com o restante da postura, enfrenta a resistência do vento e vai contra a teoria do deslocamento. Já parou para pensar porque os velocistas (corredores de pista) largam de um bloco nas provas de até 400m?

Esta aí a resposta e se você observar verá que com o a evolução do deslocamento vão levantando o tronco.

Braços

É outro assunto que dá muito pano pra manga. Se tratando de braços o mais importante é que eles estejam próximos ao tronco e que você os use como uma espécie de alavanca. Alguns atletas os deixam na lateral do corpo (como os quenianos) e outros já cruzam um pouco na frente do tronco (como os etíopes), porém o que se têm em comum é a proximidade com o corpo e um ângulo pequeno entre punho e ombro.

Superiores e Glúteos

Core, abdômen, lombar e glúteos devem sofrer pouca movimentação. Já ouvi de alguns corredores que você tem que travar a musculatura dessa região, jamais faça isso, a corrida não deve ser forçada e sim relaxada (é importante ter essa musculatura fortalecida). Vamos dar dois exemplos para comprovar o quanto isso é importante.

Observe o deslocamento do animal mais rápido do mundo.

O ponto de contato das patas com o solo no centro do corpo e a parte do tronco das pernas dianteiras (de ataque) se movimentam muito pouco. Depois de atacar repare que há um relaxamento das pernas repetidamente.

Pernas

Já ouviram falar na teoria de deslocamento bola/quadrado?

Concordamos que a bola se desloca numa velocidade maior que a do quadrado (pense na roda de uma bicicleta), isso acontece porque o circulo possui diversos ângulos e o quadrado apenas quatro, logo você precisa de mais força para deslocá-lo.

Para ser mais eficiente na corrida suas pernas devem simular um movimento circular.

Os joelhos mais elevados vai favorecer o ganho de deslocamento, mas não adianta querer mudar isso do dia para a noite e quem já passou por esse processo sabe o quanto é difícil trabalhar isso. Quando seu pé tocar o solo ele tem que estar o mais próximo do eixo central do seu corpo, como o círculo, por isso não é correto jogar sua passada lá na frente, pois você vai fugir do sinergismo da biomecânica e vais gastar mais energia simulando um quadrado.

Uma vez que o solo é atacado você deve empurrar o chão para trás pra favorecer seu deslocamento.

Observe a biomecânica de um fundista africano naturalizado americano (Paul Chelimo).

Tronco levemente inclinado, braços próximos ao corpo, quadril se desloca muito pouco, boa elevação de joelho, médio pé toco o solo próximo ao centro do corpo, o solo é empurrado para trás e o movimento de pernas simulam um círculo.

Que parte do pé atacar o solo?

Novamente teoria de deslocamento bola-quadrado. O ideal seria o médio pé (meio/centro do pé), atacar o solo com o retro pé é a pior opção, além de gerar um grande impacto sem amortecimento pode acarretar lesões calcâneas e nas articulações. Atacar com o ante pé vai sobrecarregar a parte posterior da perna, principalmente a panturrilha.

Ante pé ou retro pé o gasto de energia é maior e você precisa fazer mais força para se deslocar diferente do ataque com o médio pé que é mais natural, vai te proporcionar amortecimento, sinergismo e economia de energia e mais uma vez o eixo utilizado é central.

E você achando que corrigir a biomecânica seria fácil?

Dica 1
Como dito anteriormente depende muito da sua idade e leva um bom tempo para corrigir um ou outro detalhe, é necessário um trabalho semanal envolvendo de 3 a 5 sessões exclusivas para biomecânica e não se esqueça de consultar e realizar esse trabalho junto ao Educador Físico.

Dica 2
Corra forte sem fazer força, não tencione face, ombros e outros membros, seu corpo como um todo tem que estar relaxado.

Agora que você já está sabendo tudo, vamos corrigir algumas deficiências?
Bons treinos e provas!

ColaboradoresDr. Paulo Puccinelli e Coach Vanderlei Severiano (Branca)

E não se esquece de dar uma moral pra gente. Como?

Assine o site – www.corrakoruivo.com
Se inscreva no canal – youtube.com/corrakoruivo
Segue noix no instagram – @corrakoruivo & @baavalini / @roger_ruivo
E curti a page no face – facebook.com/corrakoruivo

Até a próxima time!!!

ROGER RUIVO. Atleta de Fundo, Criador de Conteúdo Running e Fundador do Corra K.O. Ruivo.

Anúncios

4 Comentários

  1. José Ricardo · · Responder

    Matéria show… parabéns equipe Ruivo… bora colocar em prática !!!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. VINICIUS ALVES DE MORAES · · Responder

    Nossa Roger ótima matéria, agradeço a você e todos os envolvidos!!! Sucesso total

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: